Postado em 08 de Junho às 17h32

Doenças cardíacas em cães e gatos

Apesar de ser mais comum em cachorros pequenos, como pinscher, poodle e yorkshire, problemas no coração afetam cães de todas as raças e tamanhos. Na maioria dos casos, essas doenças são hereditárias, mas também podem ser ocasionadas pela má alimentação e sedentarismo do pet.

Em felinos, a cardiopatia não é tão comum quanto em cachorros, mas, em casos graves, como no desenvolvimento da tromboembolia aórtica, o gato pode chegar a perder o movimento das patas traseiras e miar incessantemente de dor.

Alguns sinais clínicos podem demonstrar que o coraçãozinho do seu pet não vai bem, como:

Perda de peso progressiva;
Falta de apetite;
Tosses e espirros;
Desmaios;
Apatia;
Ofegância;
Aumento da frequência respiratória, mesmo em momentos de repouso.

Cardiopatias podem ser diagnosticadas precocemente e, apesar de a maioria delas não ter cura, podem ser tratadas antes de evoluírem, diminuindo os riscos para a saúde do animalzinho.

Por isso, é importante ficar atento aos sintomas, além de ser indicado que sejam feitas avaliações frequentes, no mínimo uma vez ao ano, principalmente em pets idosos, que requerem maior cuidado e atenção.

Veja também

5 curiosidades sobre os salto dos gatos08/12/20  Na visão dos bichanos, o mundo é uma selva prestes a ser desbravada! Por isso, é muito comum encontramos um gato pulando por aí. Essa é uma maneira natural de nossos amigos explorarem o mundo, além de ser uma forma de exercício e brincadeira.  Se você ama esses amigos de quatro patas e ficou curioso ao observar seu gato saltando, continue lendo.......
Quantas vezes por dia devo alimentar meu gato02/04/20 A quantidade total diária de alimento a ser oferecida ao gato adulto deve ser fracionada no mínimo em 2 refeições. Já para o filhote é recomendável fracionar a alimentação em 3 ou 4......

Voltar para Blog